Como estimular a linguagem do seu filho

A família tem um importante papel na estimulação da linguagem dos filhos. Quanto mais a criança for exposta à fala, maiores condições ela terá de adquirir a própria linguagem. Televisão, vídeos/filmes, computador/tablets e CDs não substituem a interação direta com a família. É importante orientar também os outros adultos que convivem com a criança (avós, tios, cuidadores).

Aproveite os momentos de maior atenção da criança para conversar com ela. Use a hora do banho, de vestir, das refeições, brincadeiras e passeios, para estimulá-la, dizendo o nome e as funções ou qualidades dos brinquedos, objetos, partes do corpo, alimentos. Diga o que está fazendo ou vendo.
Ao conversar com a criança, de preferência, fique na mesma altura e olhe para ela. A melhor maneira de conversar com uma criança é de frente, face a face.
Utilize palavras simples e frases curtas.

Pronuncie corretamente as palavras, usando boa articulação e entonação, mas sem exageros. Não falar de forma silabada ou ficar pedindo para a criança repetir as palavras.

Evite usar muitas palavras no diminutivo ou infantilizar sua própria fala ao conversar com a criança. É muito importante que o adulto não fale de forma errada com a criança, não ache graça, nem imite sua forma de falar.

A criança precisa sentir a necessidade de falar. Não a atenda prontamente quando ela tentar se comunicar apontando para os objetos ou por meio de gestos, mesmo que você saiba o que ela deseja. Não pegue nenhum objeto sem que seu filho tenha falado o nome (mesmo que de forma incorreta). Pergunte o que ele quer. Se ele não responder, dê duas opções. Exemplo: “ Você quer água ou suco”. Aguarde uns instantes para que ele tente responder.
Demonstre que você ficou contente com qualquer tentativa de fala da criança, mesmo que a palavra não tenha saído da forma correta.

Devolva sempre as palavras ditas pela criança de maneira correta e depois a coloque em uma frase simples, apropriada à situação: Por exemplo, a criança pede água: “ága”. Você deve responder: “Água? Você quer água?”.

Quando ela estiver juntando duas ou mais palavras em uma frase simples, devolva a frase acrescentando mais elementos. Exemplo: “Qué ága” > “Quer água? Você quer beber água?” ou “Você quer um copo de água?”.

Não fale o tempo todo com a criança. Cuidado para não falar por você e por ela. Tente estabelecer um diálogo. Deixe espaço para ela responder da maneira que conseguir.

Brinque de imitar sons do ambiente, da vida diária e de animais. Exemplos: “Au au” (cachorro), “Miau” (gato), “Trrrim” (telefone), ”Brumm” (carro), “Toc-toc” (batida de porta). Fale sempre o nome do animal/objeto/ação, juntamente com o som correspondente.

Explore os órgãos usados para a fala (língua, lábios, bochechas), fazendo-a vibrar os lábios, estalar a língua, jogar beijos, encher as bochechas de ar e estourar, etc.
Utilizamos os mesmos órgãos para comer e falar, por isso a alimentação tem papel importante no desenvolvimento da fala. Incentive a criança a usar canudinho e mastigar alimentos mais consistentes, como frutas (maçã e pera com casca, por exemplo), cenoura crua em palitinho, pão francês.

Chame a atenção da criança para os sons do ambiente (avião, carro, bater na porta, campainha, telefone, passos, barulho de animais).

Dê pequenas “ordens” para o seu filho, como: “Manda um beijo para a vovó”, “Joga a bola para o papai”, “Dá tchau para o amigo”.

Cantar músicas é também uma excelente maneira para estimular a fala. Cante músicas infantis, curtas e acompanhadas por gestos. Estimule-a a cantar com você e deixe que ela complete algumas palavras da música.

Conte histórias para a criança. Explore a mesma história várias vezes. A criança não exige uma história diferente por dia, ao contrário, gosta de ouvir a mesma. A história contada com boa entonação e criatividade (fantoches, bonecos, objetos, pedaços de pano) prende a atenção, gerando expectativa e previsibilidade, importantes no desenvolvimento da linguagem.

Leia livros infantis para o seu filho, por exemplo, na hora de dormir. Ler uma história também pode ser uma brincadeira divertida! Contar uma história usando as ilustrações do livro como apoio, estimula a criatividade e a imaginação, amplia o vocabulário e fortalece o vínculo entre pais e filhos. Criar o hábito de contar histórias em casa é uma maneira de estimular o gosto pela leitura. Escolha livros com ilustrações grandes e deixe que a criança manuseie os livros. Estimule seu filho a recontar a história a sua maneira.

Incentive-o a ser mais independente nas atividades de vida diária. Deixe que tente lavar sozinho algumas partes do corpo e vestir algumas peças de roupa; incentive-o a se alimentar sozinho, de preferência na mesa com os adultos pelo menos em uma refeição do dia; procure retirar as fraldas e incentivá-lo a usar o peniquinho.

Sabemos que cada criança tem o seu ritmo de desenvolvimento, mas se você está preocupada, vale sempre a pena ouvir a opinião de um fonoaudiólogo. Intervir a tempo é sempre a melhor conduta!

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *